31 outubro 2013

Por que comemorar o Halloween?


Nesse dia comemora-se em vários países o Halloween (Dia das bruxas) e todos os anos eu vejo um movimento de críticas muito forte sobre a data. "Não tem nada a ver com nossa cultura", "devemos prestigiar o folclore", "não devemos/podemos incentivar costumes americanos". E eu acho isso tudo uma grande besteira e vou dizer por quê, mas antes acho legal explicar um pouco sobre a data de hoje.

O Halloween não é de origem norte-americano, apesar de ser comemorar lá também e muitos filmes e séries (de produção estadunidense) reafirmarem a posição do país na comemoração do dia das bruxas, este costume não iniciou lá com os índios ou homens coloniais americanos. Foi levado para lá com os irlandeses e ouso dizer que os EUA possuíram o Halloween como eles possuem tudo o que é legal e querem dizer que é do país, mas não é. Então a concepção de que não se deve comemorar o Halloween porque é norte americano já não faz muito sentido.

Halloween parte da expressão All Hallow's Eve, no sentido de véspera do dia de todos os mortos, celebrados pelos celtas -povo antigo das ilhas britânicas e não estadunidenses!-. Na lenda do All hallow's eve, acreditava-se que o mundo seria assombrado por forças do mal e por isso cercavam as casas de objetos como fantasmas e figuras de terror para proteger moradores e colheitas. (Daí o costume de decorar a casa).

A abóbora também faz parte de um mito irlandês, dStingy Jack. A lenda diz que Jack convidou o Diabo para beber no dia do Halloween e no momento de pagar a conta, Jack sugeriu que o Diabo se transformasse em uma moeda e ele aceitou. Mas, Jack usou um crucifixo para pegar a moeda e propôs que livraria o Diabo se ele prometesse nunca incomodá-lo. O Diabo aceitou. Porém, quando morreu Jack não foi aceito no céu por ter feito um trato com o demônio e foi também rejeitado no inferno por conta do mesmo trato. Ficou então vagando pela terra, alguns dizem que o Diabo gentilmente ofereceu um nabo para que ele fizesse uma lanterna, outros dizem que Jack foi transformado em lanterna, mas daí nasce a ideia da lanterna feita de nabo ou abóbora -explicam essa diferença pelo fato de nos Estados Unidos, na falta do primeiro, usaram abóboras como substituição-.



Eu acredito que Jack ter sido transformado em lanterna faz mais sentido e por isso o costume de desenhar feições humanas nos nabos ou abóboras. Eu de fato sei e reconheço que os Estados Unidos têm uma responsabilidade pela divulgação da lenda, afinal, quantas lendas medievais da cultura bárbara se conhece por aí? O Halloween é mundialmente conhecido porque o país influencia fortemente todo o mundo, inclusive o Brasil.

Mas então, sobre a questão de comemorar ou não algo do país terror total do mundo e a culpa de tudo é dos Estados Unidos, eu acredito que cada um é livre para comemorar e criticar o que quiser. Todavia, enquanto ser dotado de opiniões, também acredito que entrar em contato com outras culturas é fundamental e só tem a trazer crescimento, vejo em cada hábito e costume dos cantos do mundo ideias tão bonitas e interessantes que devem sim ser propagadas, qual o problema? Acho ridículo não comemorar o Halloween ainda que fosse dos EUA, a pessoa bebe coca cola o ano inteiro, mas está convencido de que não incorporar um costume americano mas não é americano, se liguem é exaltar o nacionalismo. Não é.

E aí falam sobre o folclore. Eu só quero que me respondam em que a comemoração de qualquer data, hábito, costume, crença, de outras culturas influencia na negação da nossa própria cultura? Não é preciso anestesiar os valores brasileiros para experienciar outros costumes. Ouvi esses dias uma amiga me explicar que no budismo há um valor em "enviar lamparinas" para uma pessoa, para iluminar o caminho e tudo mais. Gente, que coisa linda! Achei tão bonito que agora envio lamparinas pra todo mundo também. Isso não influencia meu gosto pela minha cultura, eu não me agrado ao reservismo cultural onde nada deve tocar no outro, pelo contrário, adoro como os diferentes comportamentos culturais se atravessam, acho isso uma pluralidade muito rica! Talvez por isso também queira viajar para tantos lugares, eu amo atravessamentos culturais, por isso gosto de música africana, francesa, britânica, latina, brasileira, estadunidense (essa não é um amor total, não sou louca pelos cantores americanos).


Mas ok, ainda sobre o folclore queria dizer sobre o tal dia do saci que foi proposto por lei em 2003 apenas para competir com o Halloween e isso eu acho ridículo. Criar o dia para celebrar um personagem brasileiro na torcida de que a população deixe de gostar de uma comemoração estrangeira que de fato tem uma criação legítima.

Eu já nunca gostei do saci desde o sítio do pica pau amarelo porque eu odeio a ideia do preto que rouba, isso me faz pensar sobre várias coisas na nossa história com a população negra e eu sou altamente implicante com o preto que roupa e perdeu a perna lutando capoeira. Quem perde a perna lutando capoeira? Capoeira não é violento e essa ideia de perder a perna nessa luta ou dança só me faz pensar em como na corte colonial era importante exaltar a periculosidade da capoeira, simplesmente por ser coisa de negro. E ainda tem a coisa de prender o saci pra ele ser obediente! GENTE, querem me matar é só me vir com esse papo de prender o preto que rouba e lutava capoeira pra ele ser obediente. Eu li uma tese de doutorado do Pedro Paulo Gastalho de Bicalho e ele falava sobre o absurdo de prender negros que estivessem praticando capoeira ou apenas estivessem juntos. Ele mostrava um decreto da época, que afirmava a necessidade de prender "amontoados de negros". Negros não podiam passear em bando na rua -e isso não parece ter mudado muito, né?- Enfim, eu odeio o saci, parabéns pra quem ama, sejam felizes comemorando o dia dele, mas não repreendam quem incorpora qualquer valor internacional quando quer.


Mas antes que me chamem de vários nomes e digam que eu não amo minha pátria e meu folclore, vou falar sobre um mito que eu realmente gosto e me aterrorizava quando criança! Eu tinha um livrinho de folclore lindo, tinha colado vários adesivos lindos na capa e adorava aquele meu livrinho de folclore! Se lembrar o nome, coloco uma foto aqui. Enfim, era o mito do homem dos pés de garrafa! Ele grita de forma super aguda e os gritos desorientam todos, então não adianta procurá-lo pelos gritos porque eles enganam! E! Ele come viajantes! GENTE, quer aterrorizar seus filhos contem essa história numa viagem! Que medo que eu tinha quando ouvia qualquer grito! Acho esse mito muito bacana e já acreditei muito nele! Mas o saci eu odeio desde sempre. O livro tinha outros mitos que eu também tinha medo, mas esse me marcou mais.

Por fim, disse muitas coisas e o que quero reforçar é que nenhuma incorporação de valores estrangeiros é capaz de diminuir o lugar de onde viemos se houver um valor nosso que reconhece nossa casa. 

Eu não estou fazendo apologias ao modo de vida americana, que aliás todo o consumismo me faz gostar nada desse país -exceto pela Disney e Hawaii-, eu não tenho nenhum amor pelos Estados Unidos, não tenho vontade de conhecer, não acho bacana a alimentação americana, gosto raramente de um artista de lá. E estou falando dos americanos "modernos", ok? As tribos americanas tinham lendas que eu acho o máximo, sou super acreditadora da energia do dreamcatcher, adoro as cores tribais e os formatos geométricos que vão super aparecer nesse verão, isso eu gosto muito. Pela "civilização" americana não tenho nenhum amor. No entanto, mesmo que amasse e achasse o estilo americano de viver o máximo, isso não é motivo para diminuir o Brasil. Assim como conhecer as diversas culturas e acreditar na positividade dos diversos costumes só tem mesmo a cara do Brasil, pré e pós colonial. As misturas das tribos indígenas e todas as marcas que vários países deixaram em cada canto do nosso país, como negar a pluralidade cultural?



É isso aí, povos. Curtam o  que quiserem curtir, façam o bem com isso. Com o Halloween, com o Thanksgiving, com o Natal, como ano novo, com o tupiguarani, com o dreamcatcher, com as lamparinas. Cresçam, conheçam, incorporem, atravessem, não em detrimento da cultura brasileira, mas em prol da soma. Feliz dia do Halloween ou do saci! Mas não prendam o saci, coitado!
Leia mais sobre:

4 comentários:

  1. Arasou, Mandy! As pessoas criticam só por criticar, eu já sabia que o Halloween tem origem celta, é questão de pesquisar e se informar. Também concordo com você sobre o fato de negação da identidade cultural, não acho que seja ruim adotarmos costumes de outros povos, só se esses costumes sejam ruins, como por exemplo as touradas da Espanha: os rodeios que existem no Brasil, a meu ver, são horríveis!
    Tive que compartilhar seu post, muito bom!

    Beijinhos, Hel.
    http://leiturasegatices.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. A origem do halloween é inca
    Eles acreditavam que 31/10 as almas dos mortos possuíam os vivos e por isso passaram a colocar abóboras e outras coisas grandes nas casas pra confundir os espíritos.
    Uma teoria pior que a outra, por isso eu fico com q verdade, a reforma protestante foi 31/10/1517, então pra mim, dia 31/10 é o dia que "as bruxas" pararam de esconder o evangelho.

    ResponderExcluir
  3. Mandy, essa do Saci eu tenho de rir rs rs às vezes eu me pergunto aonde essas pessoas então com a cabeça quando começam a invenar dia de alguma coisa hehe. Eu não curto o Halloween pq não tem realmente a ver comigo, mas não critico quem goste, e acho normal as pessoas terem o seu gosto ou preferências, nada mais justo né? Algumas pessoas dão pitaco em tudo e o pior não respeitam as diferenças , querem impor as suas preferências. Bom voltando para a sua reflexão hehe não tem como não analisá-la e compara-la com o eterno complexo de vira- lata que muitos tem e já dizia Nelson Rodrigues , ( não me refiro a vc, só fiz a referência pq seu texto ficou bom kkkk) hehe. Em nosso país tem um folclore lindo, tem uma cultura linda que não se preserva , mas não tem pq implicar com o Halloeen

    ResponderExcluir
  4. Ótimo texto! Realmente, as pessoas que criticam quem gosta de comemorar outras datas comemoram o que? Nem o Natal deveriam comemorar né? Já que não fomos nós que criamos! Igual o Carnaval, não sou obrigada a amar o Carnaval porque sou brasileira, e na verdade, eu odeio! Gosto só do feriado! Hahahah!

    Beijo!

    ResponderExcluir

 


Mandy Francesa
Direitos reservados 2014/2015 ©
Desenvolvido por Laíza Cabral
Ilustração por Carla Nascimento