07 agosto 2016

Como tirar fotos mais criativas?

Como ter ideias legais pra fotos? Você precisa ser criativa, trabalhar sua imaginação. Não adianta ser criativo indo no tumblr pesquisando uma foto e fazendo igual, isso não é fotografia. Você tem que saber criar! 

Pra ter mais ideias originais você tem que expandir sua capacidade de imaginar. Eu não quero dar uma receita de bolo pra vocês fazerem fotos iguais às minhas, eu quero que vocês criem a marca de vocês na fotografia. Esse é o objetivo do post. Então vamos fazer alguns exercícios?

1. Feche seus olhos e se imagine num lugar feliz! Onde você quer estar? Com quem? Como é esse lugar? Quais cores ele tem? Se você tivesse que fazer um trabalho da escola pra representar esse lugar é o que você está fazendo ali, como faria?
Ex.: eu pensei numa fazenda, as cores predominantes são marrons da casa de madeira e o verde em volta. Eu estou na sacada do quarto, acabei de acordar. Estou na porta olhando meu marido, um pouco com vergonha de trocar meu pijama na frente dele porque somos recém casados. Os raios de sol estão passando pelos meus cabelos e é como uma cena de filme.
 
  
2. Imagine que você é protagonista de uma nova série e você tem os melhores sapatos do mundo. Onde é o seu quarto? Se imagine atuando na série, você está fazendo uma tomada entrando pela porta da casa, indo até o quarto, você senta na cama e tira deus sapatos. Essa cena que veio à sua mente é o que você deve registrar. A pose como você, enquanto atriz, sentou na cama, em qual ângulo seus pés estavam disponíveis pra câmera.
Ex.: eu me imaginei bailarina, cansada depois do treino, tiro minhas sapatilhas e deixo elas bem alinhadinhas porque sou uma personagem perfeccionista. Alongo minhas pernas e por isso subo os pezinhos suavemente.
3. Agora você vai pensar num sonho. Consegue fechar seus olhos e lembrar como os sonhos são reproduzidos no cinema? Você gosta desse jeitinho? Se não, como faria? Que objeto do seu quarto está nesse sonho? Como a iluminação toca ele? Não pode ser uma iluminação real, se é um sonho, é uma fantasia, você consegue se arriscar mais do que nisso que pensou. 
Ex.: A iluminação é um ponto crucial na fotografia. Ela pode passar as mais diversas situações. Bem clara e suave, como num sonho bom, transmitindo delicadeza e paz. Ou dura, bem marcada, em contraste forte com a escuridão, transmitindo uma sensação mais pesada.
A fotografia é expressão de sentimentos. Você quer dizer algo, mas não com palavras. Você quer que alguém olhe sua foto e entenda quais sentimentos estavam ali, que lugar era aquele, pra quem você estava olhando. É como quando você lê uma poesia bonita e te faz pensar no seu namorado, te faz restaurar certas memórias, você tem sentimentos vívidos. É o que a sua música favorita faz com você, te transporta pra fora do momento que você tá ouvindo, você pode pensar no passado ou no futuro. 

Espero que as dicas ajudem vocês! Se imagem atores, diretores de cinema! Poetas. Vocês têm algo a dizer, mas como expressar? Se você fizer um desses três exercícios e fotografar, use a #mandyfrancesa pra eu e meus leitores olharmos sua produção ️!
Se você quiser dicas de como manter o instagram todo arrumadinho, é só conferir o vídeo lá no meu canal! Conto todos os segredos :) Clique aqui!


Leia mais sobre:

30 julho 2016

EU NÃO SEI DEIXAR DE VIVER

Quando me mandam uma mensagem eu não sei esperar pra responder e fingir que estou ocupada sendo importante, eu respondo na hora. Quando gosto de uma coisa, não sei fingir que "ela nem é tão boa assim" pra "ficar por cima". Eu não sei ver uma coisa tão legal e não compartilhar 34 vezes pra "não destacar demais meu colega". Eu não sei esperar meu marido voltar e querer fazer as pazes depois de uma briga primeiro, eu saio correndo, eu mando textão, começo a chorar, eu falo, eu grito, eu reclamo, eu fico feliz, eu começo a rir.

E quando eu vejo meus amigos eu quero abraçar e ter ótimos momentos com eles. Se eu achar que você está linda eu vou te fazer muitos elogios, dos mais sinceros. E se eu não achar eu não vou falar nada. Não sei fazer média, não sei te fazer se sentir menos importante, menos bonita, menos interessante. São minhas amigas ou não são nada.

E se eu mal te conhecer, mas já te considerar, pakas, EU VOU TE CONSIDERAR PAKAS e você pode não entender nada, mas tenha certeza de que se eu gosto de você eu me importo. Eu paro o que tô fazendo, eu vou te buscar, eu vou te ligar, eu vou aparecer um dia aí na sua porta só pra deixar um presente, eu vou fazer seus trabalhos da faculdade, eu vou me responsabilizar por você quando você não estiver em condições.

Não sou pouco. Ou entro na sua vida ou não entro. Ou você conta muito comigo ou não conta. 

Leia mais sobre:

04 julho 2016

Descativei

"Cativar. Ca-ti.var.
Tornar(-se) cativo; prender(-se) física ou moralmente a; sujeitar(-se).
Guardar em seu poder; reter, conservar."


  1. Confesso que sempre desprezei os textos em moda que ensinam o desapego. Porque eu sempre gostei de me soterrar em relações. A liquidez dos relacionamentos modernos me inquietam sim. Porém, nem todos os laços merecem manutenção. Talvez ficasse muito mais bonito em outro corpo. Os finais e recomeços fazem parte de qualquer livro.

    Ainda acho idiota o esquema de competição de desinteresse. Do prêmio para os que menos se apegam. Eu não quero me fingir inalcançável para decepções. Fingir que nunca tentei e falhei, que não consegui o que queria, que não realizei meu sonhos, que outras coisas entraram no meio do caminho e elas eram inesperadas e não o que "sempre desejei". Eu não preciso atuar uma potência que não existe, para uma plateia vazia que me espia pelo celular.

    Em 2015 passei por muitas coisas difíceis, que não estou disposta a dividir com quem não se fez presente. Não é uma forma de me vingar, é meu jeito de ir embora. À francesa. Sempre saí de fininho, sem escândalos, sem despedidas. Mas não carreguei minhas bagagens sozinha, não tinha nem forças. Três amigos foram essenciais. E eu sou eternamente grata à essas pessoas. Vi como lutavam por mim quando eu não queria nem lutar por mim mesma.

    Esse ano foi um ano muito diferente. Tive várias oportunidades, conheci muitas outras pessoas e de algumas eu me afastei. E sempre me questionam isso, como se eu pudesse oferecer uma resposta. Como se as relações humanas fossem um problema matemático que você pode apresentar uma solução convincente. Me perguntam "o que aconteceu com você?" 

    Descativei. Deixei de prender e de sujeitar-me. 
     

    Nós prendemos as pessoas em cativeiros de expectativas. Esperamos que estejam sempre presentes em nossa vida. E elas se apaixonam por isso. Se sentem amadas. O problema desses relacionamentos é o futuro. Expectativas são a iminência de algo. São projeções. Expectativas são os cárceres ilusórios onde aprisionamos nossos vínculos frágeis.

    A vida acontece no presente. E quando você for desagradavelmente despertado pra ele perceberá a ausência de muitas pessoas. Não vivemos relações reais. Amizade não é aquilo que você combina com algumas semanas de antecedência ou confirma presença em evento no facebook. Amizade é quando você está mal, não tem pra onde ir e um amigo vem te buscar. Te leva pra casa dele, cozinha pra você e te põe pra dormir com cadelinhas fofas. Seus amigos são aqueles que só precisam te avisar que precisam de um hospital porque você vai cuidar de todo o resto. 

    As pessoas relevantes na sua vida cometem erros por você. Elas não necessariamente gostam de tirar fotos, mas e quem disse que você precisa de um sistema do facebook pra te lembrar  do que aconteceu a um ano atrás? 

    Saia do cativeiro.
Leia mais sobre:

25 junho 2016

Mulher, você não é livre

Tem algo que me incomoda demais no discurso de uma grande maioria esmagadora de feministas. Ah, o feminismo como todo grande movimento/ causa social não é homogêneo, você consegue perceber isso, né? Não estou aqui desmerecendo o movimento das mulheres porque eu acredito, apoio e faço parte dele. Estou criticando um dos pensamentos em pauta.
A ideia tão largamente reproduzida que me incomoda é:
 "a mulher é livre, ela pode dar em cima de quem ela quiser, ela NÃO DEVE RESPEITO."
Será mesmo? Vamos refletir sobre o sentido disso em um movimento feminino. Antes só preciso ressaltar que esse texto não é pra livrar homens de responsabilidades ou consequências. O mínimo que ele deve fazer ao estar em um relacionamento é respeitar esse relacionamento, respeitar o esforço do outro pra manter esse vínculo. É o mínimo. Se ele não consegue ter respeito a culpa é dele sim.
Esclarecido isso vamos voltar ao problema da liberdade de dar em cima de quem quiser. Vocês conseguem entender o quanto isso pode ser destrutivo pra outra mulher? Que você está ferindo uma mana sua quando você decide espontaneamente dar em cima de um homem que você sabe previamente que é casado?
Vejam bem que esse texto é cheio de ressalvas. E aqui vai outra. Estou falando de um caso em que a mulher conheceu um carinha, que ia cheio de amorzinho nela, nunca se estabeleceu como compromissado e fora da possibilidade de um novo relacionamento? Não, não estou. Compreendido? Ok.

 Estou criticando o que então? O fato de você mulher achar que tem o direito e liberdade de ir atrás de um outro compromissado e pouco se foder pra esposa/noiva/namorada que você SABE que o cara tem. Isso é um problemão e se você não entende o porquê vou te explicar o que aconteceu comigo essa semana.
Conheci um cara que parecia ser um amigo muito legal, gente fina. Até que ele deu em cima de mim. E eu lembrei "você tem namorada, nós somos apenas amigos". E ele me justificou "mas meu sonho é ficar com uma loirinha de cabelo liso pra segurar". A namorada dele é negra, tem um cabelo maravilhoso não aceito pela sociedade e nem por seu próprio parceiro. O simples fato de eu ter cabelo lisinho era suficiente pra ele desonrar o compromisso dele com a mulher. O simples fato de eu acreditar que EU SOU LIVRE, que eu posso bater no peito e gritar "EU POSSO FICAR COM QUEM EU QUISER, EU NÃO DEVO RESPEITO, QUEM DEVE É ELE" machucaria outra mulher. E mais! Eu estou contribuindo pro racismo, pra solidão da mulher negra, já tão menosprezada. Eu poderia, com minha liberdade branca e oxigenada fazer com que uma mulher se olhasse no espelho e se sentisse um lixo somente por ser quem é.
Isso é feminismo? Isso é todas por uma? Nós DEVEMOS RESPEITO entre nós. Porque eles não nos respeitam não. Eles nos trocaria por uma branca, por uma magra, por uma mais nova, por qualquer uma. Nós só temos a nós mesmas.
E você, amiga, não é livre enquanto fizer outra mulher de otária.
Leia mais sobre:

 


Mandy Francesa
Direitos reservados 2014/2015 ©
Desenvolvido por Laíza Cabral
Ilustração por Carla Nascimento